Espera por atendimento em agência da Caixa de Taboão dura até 6 horas

Por Sandra Pereira | 9/04/2013

O desrespeito aos usuários que utilizam a agência da Caixa Econômica Federal, na rua do Tesouro, no centro de Taboão da Serra é flagrante. Quem busca atendimento no local é obrigado a passar horas esperando. O problema já é antigo. Nesta terça-feira, 9, a demora no atendimento foi recorde. Havia pessoas que entraram no banco logo após a sua abertura às 10 horas da manhã e até às 16 horas ainda aguardavam atendimento. A maioria estava no local buscando resolver questões relacionadas ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), auxílio pago a quem está desempregado.

Nem mesmo usuários com crianças de colo conseguiam atendimento ágil nos três caixas destinados a dar orientações e encaminhamentos sobre o FGTS. Uma gerente da Caixa que se identificou como Bárbara e se recusou a fornecer o nome completo limitou-se a justificar a demora abusiva alegando “aumento do fluxo de clientes”. Ela ainda disse que já há um projeto para implantar outra agência da Caixa na região, mas se recusou a falar mais a respeito. 

Daniela Pinheiro, moradora do Parque Pinheiros, chegou à agência da Caixa da rua Tesouro às 11 horas da manhã. Até às 15h50 ainda esperava atendimento. Com a filha de apenas 4 anos ela enfrentou a longa espera. Daniela está desempregada e precisa agilizar o recebimento do FGTS. Por essa razão ela a filha pequena se submeteram a tortuosa demora. A menina precisava usar o banheiro, mas o local estava tão sujo que desistiu.

“Nunca vi uma situação como essa em um banco. É um absurdo. Um descaso total com as pessoas. É inaceitável”, reclamava, enquanto tentava confortar a filha nos braços.

Grávida de 3 meses Lenice Correia Mariano diz que entrou no banco às 10h30 e até poucos minutos antes das 16 horas ainda esperava para dar entrada no FGTS. A jovem estava a ponto de desmaiar de fome, mas se recusava a deixar o atendimento para o dia seguinte. “Aqui é sempre assim. Prefiro perder o dia hoje e resolver”, contou.

Lucilene Soares também não poupou críticas ao descaso flagrante na agência. Ela afirmou que entrou no local as 11 horas da manhã. Já estava bem próximo do fechamento da agência e ainda havia mais de 20 pessoas na sua frente, na fila de espera. “Aqui está pior do que no Pronto Socorro”, acusou.

Elisângela Santos, moradora do Intercap, disse que entrou na agência as 10 horas da manhã para tratar da liberação do seu FGTS. Inconformada com a demora excessiva ela reclamou do descaso da agência com os clientes. 

No período em que permaneceu dentro da agência da Caixa da rua do Tesouro o Jornal na Net flagrou dezenas de moradores revoltados, reclamando contra o descaso do sistema financeiro. Muitos diziam sentir fome e sede, já que ficaram no local por horas a fio.

A demora no setor de atendimento do FGTS era recorde. Nos demais setores o tempo de espera também era muito longo e usuários também se queixavam. As quedas constantes de sistema, e o bloqueio sem razão específica dos cartões magnéticos dos usuários do banco nos caixas eletrônicos do local aumentava a quantidade de pessoas que precisavam entrar na agência em busca de atendimento. 

Comentários