Em uma semana, Hospital de Campanha já realizou 21 internações e 500 atendimentos

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 14/04/2020

O Hospital de Campanha em Taboão da Serra completou uma semana de funcionamento nesta segunda-feira, dia 13, com o registrou de 21 internações e 500 atendimentos realizados, segundo informou nesta segunda-feira, dia 13, o prefeito Fernando Fernandes em vídeo publicado em suas redes sociais. Na unidade, também já houve a morte de um homem de 46 anos.

Atualmente, ainda de acordo com dados obtidos pela reportagem, 11 pessoas estão internadas no hospital e diversas outras, cujo número exato não foi divulgado, foram encaminhadas em estado grave para a Unidade de Pronto Atendimento Akira Tada e UTIs disponibilizadas pelo estado.

Fernando também alertou que o cenário de contágio pode ser preocupante para pessoas que não são do grupo de risco.  "Chama a nossa atenção que 81% das pessoas tem menos de 60 anos e 52% sem nenhum problema de saúde, sendo muito semelhantes aos números do Brasil, onde cerca de 25% dos mortos não são do grupo de risco e não tem comorbidades. Esse padrão é mais um alerta para que as pessoas que não são do grupo de risco se cuidem", disse. 

Taboão da Serra, que tem a densidade demográfica do país, fator que pode contribuir para o contágio, tem sido a cidade da região mais afetada pelo novo coronavírus. Até esta segunda-feira, 12, oito moradores já tinham morrido infectados pelo Covi-19. Dos 375 casos notificados, 87 testaram positivo e 165 aguardavam resultado do exame, tendo 114 suspeitas sido descartadas. 

Devido ao número crescente de notificações, foi instalado na cidade, onde antes funcionava o Serviço Especializado em Reabilitazação (SER), um Hospital de Campanha para atender exclusivamente pacientes com grau leve e intermediário da doença. Há 57 leitos de baixa e média complexidade e mais 4 de emergência que serão usados caso haja piora no quadro clínico do paciente.

Por conta da pandemia, todo sistema de atendimento de saúde precisou ser readequado. O atendimento de pediatria foi concentrado no Pronto Socorro Infantil. O PS Antena cuidará de todos os outros casos, como infartos, acidentes, partos. A UPA manterá seu atendimento, mas as internações serão exclusivas aos casos de COVID19, que permanecerão lá até a transferência para outros hospitais.  

A cidade decretou estado de calamidade pública e na tentativa de barrar a circulação do novo vírus da cidade, suspendeu as aulas da rede pública municipal e proibiu o funcionamento de comércios não essenciais.

Comentários