Moradores relatam dificuldade para encontrar álcool em gel em mercados e farmácias da região

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 18/03/2020

Moradores de Taboão da Serra e Embu das Artes estão enfrentando dificuldades para encontrar álcool em gel nos mercados e farmácias da região. O produto começou a ficar escasso na última semana, quando foi decretado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) estado de pandemia pelo coronavírus.

“Eu procurei diversos estabelecimentos de Taboão e não encontrei”, afirmou a moradora de Embu das Artes, Alessandra Souza. “Tive que comprar pela internet, mas até lá está difícil. Paguei R$ 30 em um pote de 500gr”, disse.

Já Letícia Rodrigues, também moradora de Embu, disse que não achou o produto em seu bairro. “Eu fui em três farmácias do Jardim Vazame e em todos os mercados, mas não encontrei”, informou.

Ela teve que comprar o produto pelo aplicativo de entrega Ifood do trabalho, em Pinheiros.  “Eu coloquei no Ifood álcool em gel e apareceu os lugares que tinham. Não sei se no Embu tem porque pedi do serviço”, relatou. O valor pago em um vidro com 400gr foi de R$ 25,00.

O produto é recomendado pelos órgãos de saúde pública para a higienização das mãos quando não for possível realizar a lavagem com água e sabão. As medidas devem ser adotadas para impedir a proliferação do Covid-19, que até esta terça-feira, dia 17, tinha causado a morte de um idoso de 61 anos na capital de São Paulo e causado a infecção de 350 pessoas em todo o Brasil até a manhã desta quarta-feira, 18.

“Está tendo bastante procura, o que chega, em 10 minutos acaba”, relatou Gislaine, gerente da Drogasil da Estrada Kizaemon Takeuti, na região do Pirajuçara. “Tínhamos reposição todos os dias, mas hoje já não veio”, explicou ainda. Segundo ela, devido a procura, a farmácia decidiu restringir a compra de 3 potes grandes e 5 pequenos por pessoa.

Comentários