Taboão da Serra comemora 61 anos nesta quarta-feira, dia 19

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 18/02/2020

Taboão da Serra comemora nesta terça-feira, dia 19, seu aniversário de 61 anos. A cidade, que antes fazia parte de Itapecerica da Serra, conseguiu sua emancipação política-administrativa em 1959, quando se elevou a município. A data é feriado na cidade e para celebrar a Câmara Municipal realiza sessão solene às 19h no Cemur.

Localizada na região sudoeste da Grande São Paulo, Taboão surpreendentemente ocupa o primeiro lugar no ranking nacional de densidade demográfica. São mais de 280 mil habitantes vivendo em uma área de 20,478km², segundo aponta o Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE).

Outra curiosidade de Taboão da Serra é que, além de vizinha, a cidade também é irmã de Embu das Artes, já que ambas conseguiram emancipação juntas. Embu comemora seu aniversário na data de assinatura do decreto, em 18 de fevereiro, enquanto Taboão celebra na data de sua publicação, dia 19.

Apesar do pouco tempo de independência, Taboão já conserva características de uma cidade em desenvolvimento, com conquistas importantes para o cidadão taboanense, como a chegada da sede do Corpo de Bombeiros, da ETEC, do Poupatempo, do BomPrato e da Arena Multiuso. 

História

Acredita-se que o nome de Taboão tenha relação com uma planta chamada Taboa, que existia na entrada da cidade, onde hoje é o Largo do Taboão. Os mais antigos diziam que para chegar até o município, era preciso atravessar uma das duas pontes de madeira que existiam naquele local. Já o da “da Serra” foi acrescentado pelo relevo da cidade e por ser parte desmembrada de Itapecerica.

Assim como em grande parte do país, o território que hoje compreende o município era ocupado por indígenas antes da chegada dos europeus e sua origem tem ligação com o movimento de catequização dos índios promovido pelos jesuítas, que criaram aldeamentos nas regiões. Deles, surgiram as vilas.

Em 1910, houve a formação de um vilarejo chamado de Vila Poá, localizado às margens dos córregos Poá e Pirajuçara, que pertencia ao Município de Itapecerica. No início eram poucas casas, a maioria chácaras que produziam batatas, cenouras e mandiocas, além de diversos pomares e algumas parreiras.

A cidade foi emancipada de Itapecerica da Serra e se tornou independente graças as movimentações promovidas por comerciantes, trabalhadores e proprietários locais, que estavam insatisfeitos com a administração da cidade mãe.

 

Comentários