Educando nossos jovens

Abidan escreve todas as primeiras segundas-feiras de todo o mês sobre educação.

Uma professora mudou minha vida

Todos sabemos a importância dos professores para a educação. Mesmo com todos os desafios de sala de aula, eles são peça fundamental nessa engrenagem que é a escola. Nesse texto, quero falar de como uma professora foi decisiva para a evolução da minha vida, o nome dela é Dalva Helena. 

Para quem não sabe, eu estudei meu ensino fundamental na E.M do Bairro do Caputera. Escola simples, com pouca infraestrutura, numa zona rural. Costumo dizer que onde moro, todos enxergam como um lugar de poucas oportunidades. Esse é o Ressaca/Caputera. 

No entanto, em 2012, eu estava numa aula de português e a professora Dalva (naquele momento coordenadora) me chamou em sua sala. Fiquei tenso… Todos sabem o que significa ser chamado na sala da coordenadora. Porém, era por um bom motivo. Ela me disse que descobriu na internet um instituto que dava uma bolsa para jovens de escolas públicas estudarem numa escola particular. Disse que tinha que fazer uma prova, entrevista, dinâmica e mais um monte de etapas. Mesmo sem saber muito do que se tratava, acreditei e topei o desafio. 

Um mês se passou e chegou o grande dia. A professora Dalva chegou em um sábado de manhã na escola e com seu carro levou eu e mais três amigos para fazer a prova. Quando cheguei lá, descobri que o instituto que eu estava tentando a bolsa se chamava ISMART (Instituto Social para Motivar Apoiar e Reconhecer Talentos). Caso eu passasse, estudaria no Sidarta, colégio chinês, onde aprenderia inglês, espanhol e chinês. Bom, fiz a prova e passei. Depois veio a entrevista. Passei. Na última fase, a professora Dalva sentou comigo e ajudou na minha preparação. No final de tudo: passei.     

Essa história é linda, pois quem me conhece sabe que ter ganhado essa bolsa significou a virada de jogo na minha vida. Depois dessa bolsa, eu fui para Harvard estudar inglês, passei na USP para fazer engenharia e começar a estudar numa escola de qualidade motivou meus pais a voltarem a estudar. Essa oportunidade mudou minha vida. E tudo aconteceu graças a professora Dalva. 

Como toda crônica, a moral da história vem no final. Eu lembro que depois que tudo aconteceu, eu descobri que, na época, a diretora da minha escola não havia autorizado os alunos a se inscreverem nessa bolsa. Ela acreditava que ninguém do Caputera poderia ganhar uma bolsa dessa. Ela disse que não adiantava nem tentar. Portanto, a professora Dalva fez um esforço gigantesco para nos inscrever escondido. Esse ato de coragem mudou o destino que eu e minha família estávamos traçando. 

Para mim, a professora Dalva é o maior exemplo de educadora que já vi. Ela teve coragem para lutar pelos interesses dos alunos. Se esforçou para acordar num sábado e nos levar para aquela prova e acreditou no meu potencial. Sem tudo isso, eu não estaria aqui. 



Comentários