GCM flagra crime ambiental em área de mata em Taboão da Serra

Por Sandra Pereira | 14/08/2013

Agentes da Guarda Civil Ambiental de Taboão da Serra flagraram durante patrulhamento  no dia 05 de agosto  suposto  crime ambiental nas imediações do Córrego Poá entre a Estrada Maria Aparecida Nicoleti e um Campo de futebol. A área estaria desmatada para loteamento posterior. Informações preliminares apontam que o local já tem ao menos duas construções sendo erguidas. Ao constatar o flagrante a GCM Ambiental notificou o suposto infrator a apresentar as licenças ambientais necessárias, no prazo de 72 horas.

“O prazo venceu sem que fosse apresentado qualquer documento comprobatório”, afirma o secretário Municipal de Segurança, Dr. Gerson Brito. 

De acordo com ele  a fiscalização apontou  trata-se de terreno particular, que seria propriedade da família Basile. Mas, como não há autorização da prefeitura para lotear ou construir na área as atividades no terreno estão irregulares.

“O responsável foi notificado nos termos do artigo 16 da lei 1327/00, devendo aguardar prazo de 30 dias para interposição de recurso administrativo. A Secretaria de Segurança manterá a vigilância com rondas constantes pelo local para assegurar que o que fora determinado por lei seja cumprido”, disse o secretário. 

Nesta terça-feira 13 os agentes da GCM retornaram ao local após serem acionados por moradores que estranharam a movimentação intensa e as construções feitas no local. Chegou a haver suspeita de que a comercialização dos lotes estaria ocorrendo sem a ciência ou concordância dos reais proprietários. 

A área está localizada num dos últimos trechos de mata de Taboão da Serra localizado nas imediações do piscinão da Portuguesinha. Ainda não se sabe ao certo que destino terá a área. Mas a comprovação do crime ambiental pode ser feita visualmente em razão da derrubada de vários eucaliptos e araucárias que existiam no local.

Comentários