Escola de bailado de Taboão está ameaçada em fechar as portas

Por Anderson Dias | 2/12/2011

Alunos pais e professores da escola municipal de bailado de Taboão da Serra temem o fim do projeto que já rendeu centenas de prêmios à cidade. A prefeitura tinha uma parceria com uma ONG, que foi desfeita e desta forma as aulas então foram suspensas, já há algum tempo, após as denúncias de fraude na Cultura. A escola  funciona na Av. Maria Rosa. Alunos, pais e professores esperam ansiosos o retorno das atividades no local. O tema foi retratado numa reportagem do SPTV nesta quinta-feira, 1º de dezembro.
 
A escola de bailado existe desde 2007, e já formou diversos alunos que inclusive se tornaram professores. As diversas apresentações que põe em pratica todo o aprendizado dos jovens talentos, não se limita a apresentar os trabalhos só na região, a escola já participou de diversos festivais até mesmo fora do país, e se no futebol existe rivalidade entre Brasil e Argentina, a escola de bailado em nome de Taboão da Serra, já representou o Brasil, trazendo 20 troféus de campeonatos na Argentina.
 
Um apelo no portal de notícias G1 fez com que o repórter Márcio Canuto, da TV Globo trouxesse a equipe do SPTV 1ª edição, a Taboão da Serra nesta quinta-feira (1), para encontrar uma solução, que pudesse evitar o fim da escola. Na reportagem o enviado do quadro que visita comunidades, falou de forma comovente enfatizando o valor do trabalho para a região, e para o país.
 
A professora Sônia Maria de Almeida, que há mais de 10 anos trabalha em parceria com a prefeitura do Taboão, estava visivelmente triste durante a reportagem, mas ao final emocionada falou da satisfação, e do êxito obtido com a vinda da imprensa ao local, que originou uma matéria de um caso de cultura e cidadania, e conseguiu uma solução. “estou realizada, estou contente e muito feliz em saber que vamos continuar”, disse.
 
Procurado para esclarecer os boatos sobre o fim do trabalho artístico, o Secretario de Comunicação Mario de Freitas, explicou que a suspensão de contrato entre uma ONG e a prefeitura de Taboão da Serra, fez com que os professores ficassem desempregados “mas a escola não vai parar, vamos retomar as atividades no inicio do ano que vem”, disse.

Comentários