Anhanguera do Campo Limpo encerra atividades e gera revolta entre alunos

Por Natália Bassi e Sandra Pereira | 18/12/2020

A unidade da Faculdade Anhanguera informou nesta semana que irá encerrar as atividades no campus localizado no Campo Limpo, na zona sul. Segundo nota da instituição divulgada pela página Campo Limpo Notícias, "a medida faz parte de uma estratégia de reestruturação e otimização”. O fechamento, porém, não tem agradado os estudantes, que se mobilizaram contra a decisão na internet e chegaram a criar um abaixo-assinado com algumas exigências à Anhanguera. O documento online está disponível na plataforma change.org e tem 570 assinaturas até está sexta-feira, 18. 

A revolta dos estudantes se deve à demissão em massa dos professores e sobre a garantia de oferecimento do curso presencial. ”Nós, abaixo-assinados, estudantes e ex-alunos da instituição ANHANGUERA EDUCACIONAL CAMPUS CAMPO LIMPO, membros da academia e da comunidade requeremos a garantia das vagas postas em contrato e a recontratação dos mais de 90 professores demitidos com o fechamento da unidade pelos seguintes motivos”, diz um trecho. 

Os alunos e ex-alunos alegam que foram pegos de surpresa com o fechamento do Campus antes mesmo do fim do ano letivo e que receberam apenas um SMS genérico comunicando a decisão. “Nós alunos, ex-alunos e toda a comunidade sofreremos muito com esse fechamento!”, disse. O Campus, ainda segundo os alunos, é um dos poucos deste porte na periferia. 

“Da noite para o dia, [a unidade] comunica o fechamento, sem mesmo aviso prévio e disponibilizando a migração para outras unidades, porém, SEM RESPEITAR OS CONTRATOS VIGENTES COM OS ALUNOS, como a garantia de vagas nos cursos presenciais, ou mesmo a garantia das vagas correspondentes ao semestre/ano do curso”, exigem os estudantes. 

Eles alegam que os professores, mesmo não tendo experiência ou contato com a ferramenta online, “demonstraram total zelo e esforço no desempenho de suas funções durante este ano, utilizando seus próprios equipamentos e ainda com diversas instabilidades da própria ferramenta do sistema online e contando com um volume de trabalho muito superior ao comum, foram demitidos de forma sumária na última semana”. 

Os alunos pedem a garantia das vagas presenciais nas unidades próximas e a manutenção da grade do semestre, bem como a recontratação dos professores demitidos. 

Na nota veiculada pela página Campo Limpo Notícias, a instituição diz que “a medida faz parte de uma estratégia de reestruturação e otimização, motivada pela redução da base de alunos da unidade, acelerada com a pandemia do coronavírus”. 

Veja o posicionamento na íntegra

A Anhanguera esclarece que está encerrando as atividades da unidade Campo Limpo, localizada na Estrada do Campo Limpo, 3677, em São Paulo. A instituição reitera que a medida faz parte de uma estratégia de reestruturação e otimização, motivada pela redução da base de alunos da unidade, acelerada com a pandemia do coronavírus, que tem impactado diferentes setores da economia. As demais unidades da região permanecem ativas. Os estudantes da unidade Campo Limpo estão sendo informados que poderão optar por continuar sua graduação em uma das várias unidades da Anhanguera na capital de São Paulo, ou em outros locais, como Taboão da Serra, Itapecerica ou Osasco, de acordo com a sua preferência.

 

Comentários