PF e MPF cumpre mandando de busca e apreensão em Taboão contra Paulo Preto, ex-diretor do Dersa

Por Redação | 29/10/2019

Com informações do Estadão 

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal deflagraram nesta quarta-feira, dia 29, a Operação Pasalimani, um desdobramento da Lava Jato que investiga suposta lavagem de dinheiro por parte de Paulo Viera de Souza, o Paulo Preto, ex-diretor do Dersa. Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em dois endereços de Taboão da Serra e em outras cidades.

Dersa está preso desde fevereiro pela PF, sendo apontado como o operador do PSDB. As penas pelas quais responde acumula cerca de 172 anos de prisão. Além da busca em Taboão, os agentes também foram em mais 9 endereços nas cidades de Taubaté, Ubatuba, e Itapetininga.

Pessoas ligadas a Paulo Preto, como ex -funcionários e familiares, estão na mira da operação. O imóvel da filha, do irmão, de uma ex-motorista da família, de uma empresa de recusos humanos e de um hotel foram alvos dos mandados.

Segundo o MPF, o aprofundamento das investigações sobre a lavagem de dinheiro praticada por Paulo ao obter recursos ilícitos culminou na nova operação. Ele foi preso desde fevereiro e responde pelos crimes de cartel e fraude na licitação envolvendo obras da Dersa no Rodoanel Trecho Sul e no Sistema Viário. Um mês depois, também foi condenado por peculado e recebeu pena de 145 anos. 

 

Comentários