Em eleição marcada por agressão e acusações, Conselho Tutelar de Embu elege seus novos conselheiros

Por Redação | 8/10/2019

Em uma eleição marcada por agressão a uma vereadora e acusações sobre boca de urna, a cidade de Embu das Artes elegeu no último domingo, dia 6, seus 10 novos conselheiros tutelares, que irmão tomar posse em janeiro em 2020 e permanecerão no cargo até 2023. Ao todo, 32 candidatos concorreram.

Foram eleitos para o conselho I Luiz Cavalcante Júnior, com 1952 votos, Rose do Jd. Silvia, com 1933, Tia Regina, com 1764, Gisele Neres, com 1736 e Amélia, com 1.664. Já para o conselho 2, os eleitos foram Thaís Prado, com 2555, Rosana do Rosário, com 2401, Maria do Socorro, com 2046, Pra. Rose Pires, com 1926 e Miss. Elaine, com 1687.

A eleição para os novos conselheiros de Embu teve ampla participação popular, mas foi marcada por um episódio de agressão e acusações sobre boca de urna.  Em suas redes sociais, a vereadora Rosangela Santos, do PT, alegou ter sido agredida por Madson Pires com um mata-leão durante uma discussão sobre uma denúncia de boca de urna que Madson fazia para a mulher, a Pra. Rose, que concorria como conselheira e foi eleita para o Conselho II.  

Após a briga, todos foram para a Delegacia Central de Embu, onde o boletim de ocorrência foi registrado. Nas Imagens gravadas ainda no pátio do DP, logo após o registro, Rosangela diz que recebeu diversas denúncias de que o governo mobilizou pessoas para tentar eleger alguns candidatos.

“Fui na Escola Paulo Freire para votar e verificar essas denúncias. E estava lá o pastor e várias pessoas fazendo boca de urna para candidatos ligados ao governo. No momento, eu estava fiscalizando, ele achou ruim, começamos a discutir e ele me agrediu me dando            um mata-leão”, informou a vereadora, que também disse ter sofrido agressões verbais.

A reportagem procurou a gestão municipal para pronunciamento sobre as acusações, mas até a publicação desta matéria não teve retorno. Madson também foi procurado em seu perfil pessoal de uma rede social, mas também não retornou. O Jornal Na Net permanece com o espaço aberto caso as partes queiram se manifestar. 

 

Comentários