Adolescente é apreendido após ser flagrado roubando aliança em semáforo no centro de Taboão

Por Redação | 8/10/2019

A Polícia Militar apreendeu na tarde desta terça-feira, dia 08, um adolescente de 17 anos que foi flagrado assaltando a aliança de uma mulher em um semáforo do km 269 da Régis Bittencourt, no centro de Taboão da Serra. 

Os policiais faziam patrulhamento pela região quando viram o rapaz em uma Honda CB vermelha assaltando a aliança de uma moça. Um acompanhamento foi iniciado e os PMs conseguiram deter o menor próximo ao extra.

Com ele, além da aliança, foi encontrado um revólver usado no crime com 06 munições intactas. Ele foi conduzido ao 1º Distrito Policial, onde o caso está em andamento. A PM informa que as vítimas de assalto a aliança que desejarem podem  comparer no DP para fazer reconhecimento.

O assalto a aliança é reclamação constante de moradores da cidade. Na semana passada, a reportagem mostrou em uma matéria que teve ampla repercussão a indignação de uma moradora que foi vítima de uma tentativa de assalto a aliança no Jardim Maria Rosa.

Ela relatou que para disfarçar o roubo, os criminosos usavam mochilas de entregas de aplicativo. “Eu sofri uma tentativa de assalto nessa situação. Nem parei no farol e um motoqueiro com essa mochila já encostou pedindo minha aliança”, relatou. A jóia, porém, não foi levada

Um casal, ainda segundo a vítima, também foi vítima dos ladrões no Jardim Taboão. “O motoqueiro estava armado e eles estavam com um bebê no carro”, disse. “E ouço várias histórias sobre como é comum esse tipo de roubo”, completou.

No final de agosto, dois homens em uma motocicleta foram flagrados fazendo arrastão de alianças na Kizaemon Takeuti, no bairro São Salvador. À época, o veículo usado tinha placas adulteradas com fita isolante para dificultar na identificação.

O dr. Altamiro, delegado titular do 1º DP de Taboão, informou que a Polícia Civil está monitorando este tipo de ocorrência e que “irá combater eficazmente, não só o roubador, mas também o receptador do produto, já que uma grande maioria desses adereços são feitos em ouro”, disse.

O dr. também reforçou que as “as vítimas sempre devem fazer o B.O.” “Quando a população não faz ocorrência policial, os índices sobre o combate efetivo por parte das forças policiais estaduais se mantém inalterados e as ocorrências não registradas não são computadas nos indicadores de violência para aquela região”, o que, ainda segundo ela, deixa ação policial defasada porque não é possível identificar os lugares mais afetados pelos ladrões.

Comentários