Moradores reclamam de assaltos a alianças em Taboão da Serra

Por Redação | 4/10/2019

Alguns moradores de Taboão da Serra estão indignados com assaltos a alianças que alegam estar acontecendo em alguns bairros. Segundo relatos, ladrões em motos abordam pessoas na cidade usando mochilas de entregas para disfarçar o roubo.

“Hoje eu sofri uma tentativa de assalto nessa situação. Nem parei no farol e um motoqueiro com essa mochila já encostou pedindo minha aliança”, relatou uma Ana Carolina, moradora da cidade. Ela foi abordada no Jardim Maria Rosa, mas o assaltante não conseguiu levar a jóia.

A vítima também relata que um casal de amigos passou pela mesma situação. “O motoqueiro estava armado e eles estavam com um bebê no carro”, disse. “E ouço várias histórias sobre como é comum esse tipo de roubo”, completou.

No final de agosto, dois homens em uma motocicleta foram flagrados fazendo arrastão de alianças na Kizaemon Takeuti, no bairro São Salvador. À época, o veículo usado tinha placas adulteradas com fita isolante para dificultar o na identificação.

A Polícia Civil do 1º DP de Taboão, responsáveis pelo Maria Rosa e pelo Jardim Taboão, informou que já está sabendo da onda de assalto a alianças e que medidas para coibir este crime serão tomadas. “O crime de roubo, no caso das alianças, é um crime contra o patrimônio e iremos combater eficazmente, não só o roubador, mas também o receptador do produto, já que uma grande maioria desses adereços são feitos em ouro”, disse.

O delegado titular também reforçou que as “as vítimas sempre devem fazer o B.O.” “Quando a população não faz ocorrência policial, os índices sobre o combate efetivo por parte das forças policiais estaduais se mantém inalterados e as ocorrências não registradas não são computadas nos indicadores de violência para aquela região”, o que, ainda segundo ela, deixa ação policial defasada porque não é possível identificar os lugares mais afetados pelos ladrões.

A reportagem também procurou a Polícia Militar, que informou por meio de nota que "na localidade são desenvolvidos os Programas de Policiamento  “Radiopatrulha – Atendimento 190”, “Escolar”, “Comunitário”, “Força Tática” e “ROCAM”, além  do “Emprego de Motocicletas no Programa de Radiopatrulha - Atendimento 190” e do emprego de  policiais militares na Atividade DEJEM". 

"O policiamento ostensivo naquela localidade é organizado de maneira  sistêmica e integrada, de modo que todos os tipos, processos e modalidades de policiamento ostensivo estão interligados por radiocomunicação e dispostos no terreno de forma a assegurar o apoio efetivo e eficaz a cada integrante do sistema, em especial, à comunidade local", disse ainda a nota. 

A corporação também relatou  que "os índices criminais, no mencionado local, encontram-se controlados,  apresentando tendência à diminuição, em especial, no último semestre, conforme constatado em  pesquisa realizado nos Sistemas Inteligentes colocados à disposição da Polícia Militar (INFOCRIM, Análise Criminal Web, etc), para todos os delitos analisados pela Coordenadoria de Análise e  Planejamento da SSP". 

 

 

Comentários