Diretoria de Ensino faz vistoria na escola Iria Kunz, afasta vice-diretor e prevê reformas

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 22/03/2019

Após pais, alunos e funcionários protestarem contra o diretor Andre Luiz dos Santos, da escola Iria Kunz, localizada no Jardim Presidente Kennedy, a quem atribuem uma “má administração”, a Diretoria de Ensino realizou uma vistoria na última quarta-feira, dia 20, no colégio e decidiu afastar o vice-diretor, que, segundo relatos, tinha sido nomeado ao cargo por André de forma ilegal. Uma reforma também está sendo prevista.

Os pais e funcionários alegam que o diretor elegeu seu vice sem a aprovação da Associação de Pais e Mestres (APM), o que obrigatoriamente tem que ser feito. “Ele colocou um vice-diretor ilegal. Nós fizemos o pedido de investigação na segunda e ontem [quarta-feira] ele não estava mais”, disse uma das participantes do protesto.

André também é acusado de ter abolido o uso do uniforme e das carteirinhas, utilizados para identificar os alunos e manter a segurança no colégio. “Ele deu liberdade para os alunos, tirou autoridade dos professores e funcionários, tirou todas as normas e regras que havia na escola”, disse uma funcionária.

Algumas mães ainda chegaram a dizer que uma sala foi criada para que os alunos fumassem narguilé. “A manifestação é contra o diretor da escola que abriu um fumódromo para quem quiser usar. A escola tem alunos do fundamental I e II, uma coisa dessas é inaceitável", disparou inconformada uma mãe.

A reportagem conversou com três funcionárias a respeito da sala exclusiva para fumo. Duas deram entrevistada na última quarta-feira, dia 20. “Tem muita coisa que estão colocando que não é verdade. Sala de narguilé? Não existe, isso é mentira", disse uma. A outra também relatou "que não está tendo sala para formar outras turmas, quem dirá para ele colocar isso". Ela ainda saiu em defesa do diretor. “É um homem que não bebe, não fuma, não sei o porquê estão fazendo isso com ele", disse.

Já nesta sexta-feira, dia 22, uma terceira servidora afirmou “desconhecer” a tal sala. No entanto, informou “que os alunos tinham livre acesso para fumar”. “No pátio eles fumavam, nos corredores eles fumavam”, informou. A reportagem também tentou conseguir o telefone tanto do vice quanto do diretor, mas eles não foram disponibilizados. Uma funcionária informou que o número da redação do Jornal Na Net chegou a ser entregue por uma outra pessoa ao diretor caso ele quisesse entrar em contato. O espaço para que eles se pronunciem continua aberto. 

Durante a reunião, os representantes da delegacia de ensino foram informados sobre os problemas e decidiram afastar o vice-diretor. Com isso, novas eleições devem acontecer em breve. Uma professora se ofereceu para o cargo agora vago e outros se disponibilizaram para preencher a vaga de coordenador. O que acontecerá com o diretor, no entanto, ainda não foi informado.

Outras medidas serão adotadas em breve, como a volta do uso das carteirinhas e dos uniformes. Uma obra emergencial para reformar a escola, assunto estava em pauta e era uma das exigências feitas pela comunidade, também pode acontecer nos próximos meses. A reforma, segundo pais, alunos e funcionários, faz-se necessária devido às condições físicas da escola. “Até com bicho peçonhento nós estamos lidando”, disse ainda uma funcionária.

 “Era o intuito de voltar com regras para a escola, como uniformes, carteirinha, respeito e segurança, e tudo isso foi concedido com sucesso”, comemorou uma das mães que participou do encontro. Também foi decidido que pais e alunos se reunirão neste sábado, dia 23, para realizarem um multirão de limpeza na instituição.

Comentários