Após protestos, Diretoria de Ensino fará reunião para discutir melhorias em escola de Embu

Por Redação | 20/03/2019

Após protestos entre alunos, pais, professores e funcionários, a Diretoria de Ensino irá realizar uma reunião nesta quarta-feira, dia 20, para discutir as melhorias propostas pela comunidade para a Escola Estadual Iria Kunz Irmã, localizada no Jardim Presidente Kennedy.

As minifestações já duram cerca de quatro dias e começaram porque, segundo alegam, o diretor da instituição, A.L.S, teria criado uma sala para uso de narguilé. Na segunda-feira, dia 18, com folhetos e cartazes, a comunidade escolar da região ocupou a frente da escola, pedindo o afastamente de A.

"A manifestação é contra o diretor da escola que abriu um fumódromo para quem quiser usar. A escola tem alunos do fundamental I e II, uma coisa dessas é inaceitável", disparou inconformada uma mãe.

A reportagem ligou na escola para tentar falar com o diretor, mas foi irformada de que ele está em período de férias e ninguém tinha no momento seu contato para disponibilizar. O espaço permanece aberto para que ele se pronuncie. Por telefone, duas funcionárias, ao ouvirem as alegações feitas contra o A., saíram em sua defesa.

"Tem muita coisa que estão colocando que não é verdade. Sala de narguilé? Não existe, isso é mentira", disse uma. A outra também relatou "que não está tendo sala para formar outras turmas, quem dirá para ele colocar isso". "É um homem que não bebe, não fuma, não sei o porquê estão fazendo isso com ele", informou. Ela ainda explicou que, na verdade, é A. quem está consertando a escola, já que ela estava "jogada ao lixo, às traças".

As reclamações não se restringem somente a isso. Segundo alegam, o prédio precisa de manutenção e medidas de segurança precisam ser tomadas, já que qualquer pessoa tem livre acesso dentro da escola. "No período da noite e da tarde, entram pessoas que não são da escola junto com os alunos", disse um dos integrantes do protesto. Eles também pedem o uso do uniforme e da carterinha.

Em um vídeo enviado à reportagem, é possível ver muitas goteiras do teto de uma sala que parece ser um almoxarifado. A água molha cadeiras, armários e materiais escolares. Já em outras imagens que a reportagem também teve acesso mostram alunos com mochilas nas costas brincando no pátio. Não se sabe, porém, se eles estavam em horário de aula ou de saída.

Outro alegação contra a direção é que A. deixa os alunos entrarem e saírem a hora que quiserem da escola e responde de forma grosseira a funcionários e a professores. "Diretor grita e deixa bem claro que é concursado e a escola dele então é ele quem manda", dizia uma das propostas em pauta.

Na reunião, além dos membros da Diretoria de Ensino, irão participar professores, alunos e pais. O diretor, segundo informações, também esterá present. Iss, porém, a reportagem não conseguiu confirmar já que ele está de férias.

 

Comentários