Quermesse do Morro não tinha autorização da prefeitura de Taboão e foi encerrada após assassinato no local

Por Sandra Pereira | 10/07/2018

Após o assassinato do jovem de 18 anos identificado como Marcos Felipe Ferreira da Silva, assassinado com disparo de arma de fogo durante a chamada quermesse do Morro, na ua Prata com a Avenida Fernando Fernandes em Taboão, na região do Pirajuçara, na madrugada do dia 8, a festa foi cancelada pelos organizadores. Nesta terça-feira, 10, o secretário Gerson Brito revelou que a quermesse não estava autorizada pela prefeitura por falta de documentação como AVCB, ambulância e autorização da PM e da GCM. Sem essa documentação a festa estava na ilegalidade e não poderia ter sido realizada.

“A quermesse no morro não tem autorização da Prefeitura. Eu indeferi o processo. Falta de AVCB, ambulância, autorização da PM e da GCM. Não há segurança no local e a Setrans não dispõe de material ou pessoal para a realização do evento”, relatou Gerson Brito.

Veja documento enviado ao Jornal na Net pelo secretário.

A trágica morte do rapaz foi mais uma das ilegalidades acumuladas na festa. Moradores relataram desordem generalizada na festa e ausência total das forças de segurança. Em vídeos gravados no local é possível ver rapazes levantando um fuzil e dançando no meio da multidão com a maior naturalidade. O Jornal na Net recebeu as imagens gravadas sob a condição de anonimato. Os vídeos são uma afronta à segurança e exigem uma resposta das autoridades.

Marcos Felipe Ferreira da Silva foi alvejado na festa com um tiro na cabeça. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital Geral do Pirajuçara. De acordo com relato da mãe dele no Boletim de Ocorrência, ela soube no hospital que o filho havia dado entrada com ferimento de arma de fogo próximo a orelha esquerda. Também foi informada que a bala ficou alojada na cabeça e devido ao ferimento ele sofreu uma parada cardiorrespiratória não resistiu e entrou em óbito.

A mãe do jovem assassinado acredita que a possível motivação para o crime seria uma briga que Felipe teve com um indivíduo desconhecido na sexta-feira, 6. Ela contou que o homem teria saído machucado e jurou se vingar de Felipe dizendo que iria acertar as contas depois. Ela disse ainda que o filho teria ficado com medo, já que o rapaz fez uma ameaça séria.
De acordo com o Boletim de Ocorrência Felipe foi morto com a arma que estava levando na cintura. Os culpados pelo crime ainda não foram identificados.

Devido ao assassinato de Felipe a festa foi cancelada e todas as barracas já foram retiradas. A comunidade está em choque, mas também aliviada pelo fim da bagunça generalizada.

Comentários