Greve é suspensa por 15 dias após acordo entre governo e caminhoneiros

Por Juliana Ribeiro | 24/05/2018

O governo e associações que representam os caminhoneiros chegaram a um acordo, nesta quinta-feira (24), após quase sete horas de reunião. A greve, que iniciou na segunda-feira (21), será suspensa por 15 dias.

A notícia foi divulgada no fim da noite desta quinta-feira, em entrevista coletiva concedida pelos ministros Eliseu Padilha, Eduardo Guardia e Carlos Marun.

Ao fim do prazo estipulado, uma nova reunião será realizada entre o movimento dos caminheiros e os representantes do governo.

Os representantes das entidades de caminhoneiros que participaram da reunião (à exceção de um) se comprometeram a apresentar aos manifestantes os termos do acordo.

Quanto ao diesel, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou que o preço do combustível será congelado por 30 dias e com a manutenção da redução de 10% de seu preço nas refinarias.

Os custos dos primeiros 15 dias com a redução, estimados em R$ 350 milhões, serão arcados pela estatal. Já as despesas da quinzena restante ficarão com a União, como compensação para a petrolífera.

Veja abaixo alguns pontos do acordo entre caminhoneiros e governo federal:

- Preço do diesel será reduzido em 10% e ficará fixo por 30 dias. O valor ficará fixo em R$ 2,10 nas refinarias pelo período

- A cada 30 dias, o preço do combustível será ajustado conforme a política de preços da Petrobras e fixado por mais um mês

- Não haverá reoneração da folha de pagamento do setor de cargas

- A tabela de frete será reeditada a cada três meses

- Ações judiciais contrárias ao movimento serão extintas

- Multas aplicadas aos caminhoneiros em decorrência da paralisação serão negociadas

- Entidades e governo terão reuniões periódicas

- Petrobras irá contratar caminhoneiros autônomos como terceirizados para prestação de serviços

 

Comentários