Polícia ainda não prendeu acusado de matar GCM Carvalho, investigação segue em sigilo

Por Sandra Pereira | 9/04/2018

Policiais do 100 Distrito Policial da capital, localizado no jardim Herculano, estão investigando o assassinato do Guarda Civil Municipal (GCM) de Taboão da Serra, Hugo Filipe Carvalho Ribeiro, de 32 anos, o Carvalho, assassinado na quinta-feira, com um tiro na cabeça.

Até o momento, a polícia não prendeu o autor do disparo que tirou a vida do GCM.

O crime que tirou a vida de Carvalho está sendo investigado e a polícia civil mantém sigilo total para não atrapalhar as investigações. Só o que sabe de concreto é que o autor do disparo que tirou a vida do jovem GCM de Taboão da Serra segue foragido.

Esses homens chegaram a ser apontados como participantes do crime, mas foram inocentados 

 

Na última semana, vários grupos de Whats App de policiais e guardas compartilharam imagens de dois homens presos, inicialmente apontados como participantes do crime, mas que haviam sido detidos pela GCM de Embu numa ocorrência no município e não pelo assassinato do GCM de Taboão. A verdade é que os dois não possuem relação com o assassinato de Carvalho.

“A Polícia Militar prendeu dois maiores e um menor. Havia um quarto elemento que teria sido o autor do latrocínio e roubou a arma do GCM”, disse um delegado que acompanha as investigações.

Carvalho estava na GCM há quatro anos. Fazia parte da Romu e era muito querido pelos colegas de farda. Ele recebeu homenagens póstumas de GCMs de toda a região. Ele foi velado na Câmara Municipal de Taboão e levado ao cemitério da Saudade em viatura aberta do Corpo de Bombeiros.

 

Comentários