Embu discute mudanças no Plano Diretor

Por | 1/12/2010

Com o objetivo de ordenar as diretrizes gerais da política urbana de desenvolvimento dos moradores e também determinar por onde e como a cidade vai crescer o Secretário de Desenvolvimento Urbano, Geraldo Juncal Júnior, juntamente com o Prefeito Chico Brito explicaram o Plano Diretor de Embu das Artes para os moradores no Centro Cultural Valdelice Aparecida Medeiros Prass, nesta terça-feira, 30 de novembro.

Os cerca de 400 moradores conheceram os pontos positivos, negativos, as características do Plano e também o cronograma de reuniões e audiências públicas para as iniciativas do governo em relação ao futuro da cidade e como ela irá se desenvolver.

Analisada como um todo, a cidade de acordo com Juncal foi dividida por regiões e cada uma apresentou pontos positivos e negativos, sendo que as diretrizes de 2003, onde o plano diretor foi sancionado, é bem diferente das análises deste de 2011 que vira projeto de lei em julho do próximo ano.

“O desafio do plano é como vamos planejar a cidade para os próximos anos. O plano reconhece as diferenças das regiões e de cada bairro e as características especificas, com isso conseguimos propor ações gerais para cada local. As diretrizes serão direcionadas para várias questões, como: acessos na rua, acessibilidade, segurança, sistema de transporte, ampliação de áreas verdes, otimização de corredores empresarias, entre outras questões”, explicou Juncal.

Chico Brito, prefeito de Embu, ressaltou que o Plano Diretor é um instrumento político e é a partir dele que a cidade será projetada para o futuro. “A partir de julho de 2011 o Plano passará a ter valor jurídico, porque vai se tornar uma Lei. Este projeto precisa ser um resultado do consenso e igualdade, assim como foi o de 2003 que contou com a participação de todos os munícipes”, ressaltou.

De acordo com Chico Brito os moradores que tiverem alguma dúvida podem participar a partir de março do ano que vem das audiências públicas ou acessarem o site da prefeitura (www.embu.sp.gov.br). “As sugestões podem ser enviadas por e-mail. Os moradores poderão posicionar-se nas audiências públicas, e o poder público fará a mediação dos conflitos”, disse.

Satisfeito e otimista com o Plano Diretor, o prefeito afirmou que o plano precisa ser revisado e que o processo seja completo. “O plano diretor tem diretrizes e leis específicas, o produto final deve ser um arcabouço político para muitos anos”, finalizou.

Estiveram presentes, os secretários Paulo Giannini (Governo), Paulo Oliveira (Cultura), João Ramos (Meio Ambiente), Selma Fernandes (Assistência Social) e Sandra Magali (Saúde). Os vereadores Silvino Bomfim (presidente da Câmara), João Leite e Maria Cleuza Gomes (Ná), também compareceram na apresentação do Plano Diretor.

Comentários