Transbordo de Itapecerica pode acabar com problemas na coleta de lixo

Por | 1/09/2010

Economia de tempo, dinheiro, rapidez para transportar o lixo recolhido na cidade e agilidade na coleta. Essas são as principais caracteristicas desenvolvidas após a instalação do transbordo no dia 25 de agosto em Itapecerica da Serra. Para o Secretário de Obras, Carlos Hueb a avaliação é positiva.

"Além da economia, rapidez, com o transbordo os caminhões não ficaram desgastados depois de três horas viajando para Caieiras e vão quebrar menos, diminuindo os problemas que o município apresenta como atraso na coleta, com o caminhão quebrado", avaliou Carlos Hueb.

De acordo com o Secretário o meio ambiente só tem a ganhar com o transbordo na cidade. "O transbordo nada mais é do que descarregar o lixo do caminhão da prefeitura em outro caminhão que vai levar todos os resíduos, cerca de 120 toledas por dia para Caieiras. O meio ambiente vai ganhar pois, não vamos mais depositar o lixo na cidade, mantendo dessa maneira a natureza em dia", explicou.

Com o principal objetivo de economizar e ganhar tempo para transportar o lixo recolhido, o secretário afirmou que a iniciativa do transbordo surgiu para acabar com a situação do transporte que quebrava muito. "Os problemas decorrentes do excesso de viagens e desgastes do motor e pneus irá diminuir devido a iniciativa, pois agora os caminhões da prefeitura vão até o local (antigo aterro da cidade), com o caminhão cheio, descarregam e depois voltam novamente para a coleta nos bairros", finalizou.

Para Valter de Oliveira, mais conhecido como Valtinho diretor da regional do Jacira, o transbordo é um ganho para a cidade."O que levava três horas para descarregar e voltar para Itapecerica, agora o trabalho será realizado em 40 minutos", concluiu.

Conheça a coleta de Itapecerica

Segundo o Chefe de Divisão técnica de limpeza pública, professor Ezequiel a cidade conta com 15 caminhões, mas somente seis estão operando normalmente, "os outros nove estão quebrados esperando por peças (embreagem, entre outros)", explicou.

A limpeza pública de Itapecerica conta com cerca de 60 funcionários que recolhem o lixo três vezes por semana em cada bairro. "O lixo é recolhido em alguns bairros de segunda, quarta e sexta e em outros terça, quinta e sábado", ressaltou.

De acordo com o professor a coleta ficou atrasada, quatro dias devido ao caminhão quebrado na região do Hospital Geral (bairro Embu Mirim), mas provavelmente esse problema será resolvido nesta terça-feira a noite, porque ele será entregue hoje", contou o professor Ezequiel.

Coletores enfrentam problemas com materiais cortantes

Falta conscientização. O Jornal na Net já divulgou no começo do ano inúmeros casos de coletores que são atingidos por vidros e materiais cortantes durante o trabalho e segundo eles, para a solução desse problema é necessário que cada morador se conscientize.

"Os moradores devem saber que quando for jogar fora o material cortante o mesmo deve estar organizado, dentro de uma sacola separada e com aviso, enrolar no jornal ou até mesmo no papelão ou simplesmente dentro de uma garrafa pet", ensina o professor Ezequiel.

Além do material cortante os cachorros também são um obstáculo para a realização da coleta. "Os cachorros soltos na rua também são um obstáculo na hora de recolher o lixo, o coletor precisa driblar esse problema, além disso, têm bairros que a coleta não pode ser a noite, porque se for sempre somos ameaçados com arma de fogo", conclui um condutor que não quis se identificar.

Comentários