Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Polícia

Sto Eduardo vai receber câmeras de segurança

Por | 17/03/2011

cameras

Karen Santiago Bairro receberá cinco câmeras para inibir ações dos criminosos

Visando coibir as ações dos criminosos no bairro Jardim Santo Eduardo, onde o número de roubos a comércios, quase diariamente assustam os comerciantes e também moradores que são surpreendidos na saída do banco, a Prefeitura de Embu anunciou nesta quarta-feira, dia 16, a implantação de mais cinco câmeras de segurança na Estrada de Itapecerica – Campo Limpo. Três delas serão instaladas nas portas dos bancos. Embu já conta com 26 câmeras no centro histórico e 36 no centro expandido da cidade.

“O prazo para início da implantação é de 90 dias e o investimento é avaliado em R$ 180.000,00. De acordo com a nossa avaliação seriam necessárias quinze câmeras espalhadas pela Estrada Itapecerica – Campo Limpo para oferecer mais segurança aos comerciantes e moradores e também para cobrir os pontos comerciais”, explicou Vitor Mazeti, secretário adjunto de obras de Embu.

Para o Comandante da Guarda Civil Municipal, Dirceu, as câmeras servem de subsidio para a Polícia Militar e Civil conseguirem através das imagens resolver a ocorrência e solucionar os crimes cometidos. “Com a implantação das câmeras no centro histórico e expandido tivemos um controle razoável dos furtos, roubos. O centro está quase praticamente fechado por câmeras”, ressaltou.

Natinha, vice prefeito de Embu afirmou que apesar da segurança pública ser dever do Estado, a prefeitura da cidade está fazendo a sua parte e cobrando dos Policiais Militares que realizem a ronda ostensiva. “Um grupo de PMs tem andado a pé pela Estrada e outros estão fazendo a ronda com motocicletas”, observou.

Paulo Giannini, secretário de Segurança Pública afirmou que a criação da Guarda Civil Municipal foi para além de proteger o patrimônio público, auxiliar no trabalho da Polícia, ele durante sua fala anunciou que este ano serão contratados, por meio de concurso público mais quarenta GCMs, hoje a cidade conta com 102.

“A prefeitura apoia a Polícia Militar na cidade, paga aluguel do prédio, assim como a Polícia Civil. Por iniciativa do prefeito Chico Brito, mensalmente são realizadas reuniões com o alto comando das Polícias Militar e Civil, além da GCM, para discutir e mapear os pontos com maior índices de violência. O governo tem essa função, mas o morador e o comerciante tem a responsabilidade de ajudar o governo a fazer o que o município precisa”, finalizou.

A reunião que contou com a presença dos moradores e também comerciantes do bairro agradou o casal Rafael e Lilian Briano, 33 e 31 anos. Ambos são proprietários de uma loja de roupas a 100 metros da Igreja Nova Terra, local da reunião. A loja segundo eles foi assaltada oito vezes, em três anos.

“A última vez foi hoje, eles (assaltantes) entram como se fossem clientes e roubam o que vêem pela frente. A atendente foi trancada no banheiro durante o assalto. Não sabemos o prejuízo, porque fechamos a loja e fomos a Delegacia fazer o boletim de ocorrência”, contaram.

Para Rafael, a opção de colocar as câmeras nos bancos não é correta. “A solução seria instalar câmeras nos pequenos e micro empreendimentos, porque são esses empresários que se prejudicam e sofrem com os assaltos, pois são eles (empresários) que geram emprego e pagam impostos”, justificou.

Apesar da observação, ele se diz confiante com a instalação. “Algo está sendo pensado em relação à violência. Se não resolver a opção é fechar as portas, porque ninguém merece trabalhar para ser roubado”, finalizou.

Participaram da reunião os vereadores Silvino Bonfim, Doutora Bete, Gilvan da Saúde, Luiz do Depósito, João Leite e Carlos Pires, além do secretário de Trânsito e Transporte Francisco Carlos Pereira (Kal).
 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.