Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Variedades

Projeto libera FGTS a quem se demite

Por Outro autor | 12/04/2018

FGTS

Divulgação Governo quer barrar projeto

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado aprovou nessa quarta-feira (11), um projeto que altera a legislação para permitir que o trabalhador que pedir demissão tenha a possibilidade de sacar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Hoje, o trabalhador não pode movimentar a conta vinculada a ele no FGTS quando pede demissão, a não ser que haja acordo entre empregado e empregador, o que permite saque de até 80% do saldo.

O projeto foi apreciado em caráter terminativo e, caso não haja apresentação de recurso para análise do tema no plenário da Casa, seguirá diretamente para apreciação na Câmara dos Deputados. Depois, precisa passar ainda por sanção presidencial.

Governo quer barrar projeto

Governo quer barrar projeto,porém, o governo deve trabalhar para que o projeto não siga adiante. O primeiro passo é apresentar requerimento para apreciá-lo no plenário do Senado, com o objetivo de derrotar a proposta e impedir que ela siga para a Câmara.

Fontes do FGTS alegam que o impacto no fundo seria muito grande - embora não tenham fechado o cálculo - e implicaria na redução dos financiamentos de habitação, saneamento e infraestrutura com juros mais baixos graças aos recursos do fundo. O governo também argumenta que o trabalhador que pede demissão não precisa ser protegido, assim como o que foi demitido- e que o objetivo da criação do FGTS foi exatamente dar amparo  aos demitidos.

Atualmente, a legislação permite a movimentação da conta vinculada em 18 situações distintas, como em caso de demissão sem justa causa e doença grave. A nova lei trabalhista, em vigor desde novembro, permite que o empregado fique com a metade da multa do FGTS – 20%  DOS 40% sobre o total depositado pelo empregador no fundo – e saque 80% do saldo de fundo em caso de demissão em comum acordo com o patrão.

Para o relator da matéria na CAS, senador Paulo Paim (PT-RS), a proposta é um passo a mais rumo à "correção de uma distorção histórica" na legislação que trata do FGTS, que buscava restringir o acesso a esses recursos que são do trabalhador. "O projeto visa corrigir uma séria distorção, na medida em que estende também a vontade do trabalhador a possibilidade de acesso ao saque à conta do FGTS. Hoje, apenas por força da vontade do empregador, ou por situações, em geral, alheias à vontade do trabalhador, é possível o saque."

Condições

Paim considera que muitas vezes o pedido de demissão por parte do trabalhador também pode ser motivado por situações adversas à sua vontade, resultando de más condições de trabalho, ou mesmo de posturas indevidas por parte do empregador. “A decisão do trabalhador de pedido de demissão não resulta assim, necessariamente, de uma opção por melhor posto de trabalho, podendo se dar em função de notório desconforto."

Em nota, o presidente do Instituto Fundo Devido ao Trabalhador (IFDT), Mario Avelino, disse que a aprovação do projeto pode desencadear uma onda de pedidos de demissão e gerar instabilidade nas contas do Fundo. “Como a maioria dos trabalhadores está endividada, esse será um canal para que eles saquem o fundo para pagar cartão de crédito e saldar dívidas do cheque especial, por exemplo.”

 

21/08/2018

PAT disponibiliza 56 vagas de emprego para Embu, Taboão e Itapecerica

O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) da Prefeitura de Embu das Artes disponibilizou 56...

14/08/2018

Mega-Sena pode pagar R$ 6,5 milhões nesta terça

14/08/2018

FGTS vai distribuir R$ 6,23 bilhões de lucro com trabalhadores

13/08/2018

Vendas de Dia dos Pais têm melhor desempenho em 6 anos, diz Serasa

21/08/2018

Governador Márcio França visita Taboão em campanha para reeleição

O governador de São Paulo e candidato a reeleição Márcio França (PSB) vem a Taboão da Serra...

21/08/2018

Homem é morto durante assalto após entregar a carteira e o celular em Cotia

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.